quarta-feira, 22 de junho de 2016

Por que fazer bariátrica??

Bom dia...

Escolher fazer uma cirurgia não é como escolher a roupa que vai usar durante o dia, é uma escolha que soma mudanças e desafios. Escolher o caminho cirúrgico é saber que você já percorreu todos os caminhos possíveis para atingir seu objetivo e que estes não foram suficientes para ajudar em sua saúde.
Possuo histórico familiar de várias doenças clinicas...
...que podem se agravar devido a obesidade,  como por exemplo diabetes, pressão alta, esporões nos calcâneos, gordura no fígado que pode se tonar câncer, entre outros, quando optei por escolher o caminho da cirurgia, já  havia feito tratamento com outros especialistas sem obter resultado, e também praticava atividades físicas de forma regular, sem obter resultados significativos.
Antes de procurar o médico que fez minha cirurgia Dr. César Conte, ouvi vários mitos e verdades sobre a cirurgia bariátrica, mas foi com uma palestra do mesmo e com Drª. Mariana Corradi que descobri que a cirurgia bariátrica merecia minha atenção e estudos para saber o que eu encontraria caso realmente viesse a realizar o procedimento.
Realizei muita leitura antes de procurar o consultório do Dr. César, e pesquisei sobre as etapas da cirurgia, o que posso dizer que foi muito eficiente e primordial para o sucesso do pós-operatório.
Saber o que te espera ajuda a preparar o psicológico para qualquer dificuldade ou desafio que possa encontrar no caminho. Com as pesquisas descobri que passaria por uma total reeducação alimentar, "forçada" pela cirurgia, mas era uma forma de reaprender a se alimentar. Pois nesse processo me senti como criança quando está aprendendo a comer, passei pela fase liquida onde só consumi alimentos no estado líquido, depois veio a fase pastosa no qual minha mãe (meu anjo da guarda de todo o processo) processava os alimentos de forma dedicada e carinhosa para que ficassem pastosos, como papinha para bebê, e que pudessem ficar saborosos também, utilizando muitos temperos naturais (cebola, salsão, salsinha, cebolinha, alho, alho poró, coentro, etc.), e por fim o começo vagaroso e cuidadoso dos alimentos de forma que aprendesse que era necessário comer devagar e mais vezes durante o dia.
Conhecer esses processos e essas fases me possibilitou saber preparar meu psicológico, o qual já estava acostumado com grandes quantidades no prato, a saber que daquele momento em diante tudo seria diferente e novo. O que me ajudou muito também é que gosto de experimentar e conhecer novos sabores, não tem comida que não goste, ou tipo "não como isso", "não gosto daquilo", "isso é ruim", ou "isso não tem sabor". O que vier experimento e essa foi a melhor parte, podia de tudo, desde que na QUANTIDADE CERTA, e hora certa.
Estar preparada é o foco, procure conhecer o que te espera... existem várias grupos e informações, procure um especialista e tire suas dúvidas antes de tomar sua decisão.

Beijos da Patty Zandona!!!