quarta-feira, 4 de novembro de 2015

DE REPENTE 30!!!






Queria poder entender meus próprios sentimentos. É difícil olhar para o espelho e ver um reflexo, que transmite um turbilhão de sentimentos e pensamentos. Me questiono sempre se menina, se mulher ou nenhuma ou nem outra. Porque tantos conflitos, tantos anseios, porque tantas perguntas sem respostas e outras respostas sem nenhuma pergunta.
Experiências que as vezes parecem nada,...
e em outros momentos são tudo. Mas sempre tao poucas diante de tantas possibilidades, tantos desafios. Sei que não vivi tudo que planejei, e que muitas vezes outros decidiram por mim sem ao menos eu questionar. E em outras fui tão irritante que cultivei a raiva das pessoas por mim.
Sei que não sou popular, muito menos carismática, sei que sou grossa e muitas vezes sem paciência, sou indiferente com quem não conheço e sem paciência com falsidades. Mas também sou muito carinhosa quando cativada, amiga fiel se for verdadeiro, companheira para qualquer situação com aqueles que por mim demonstrarem a mesma parceria. Sou louca para ser mãe, e gostaria de ter me casado com 20, mas não tive sorte de ter achado um louco, e a mesma sorte tive, pois vivi de forma com que aprendesse que o mundo vai além das paredes da minha casa.
Amo festar, sair, não gosto de ficar em casa, mas também amo a calmaria, um bom livro, filmes melosos que me façam chorar. Tenho medo de filme de terror, mas assisto pelas companhias certas, e pelo prazer de rir do susto alheio. Queria ter uma biblioteca, milhões de lingerie, um quarto cheio de bichos de pelúcia e uma coleção de botas. Mas também sei que são sonhos, quem não quer viajar pelo mundo inteiro, conhecer outras culturas, tão normal e ao mesmo tempo anormal, não gosto de luxo e nem de maquiagens, amo animais, sou incoerente, e aprendi a voltar atrás na minha palavra ou atitudes, pois mil vezes a paz de espírito do que o sofrimento diário.
A cada novo sorriso, a cada nova pessoa, a cada novo lugar, a cada novo obstáculo, a cada nova experiência, a cada novo desejo, amadurece dentro de mim, mais e mais, a menina mulher, que tem medo do escuro, e de ficar sozinha, amadurece o ser humano que deseja a paz para o mundo, e que anseia viver a vida na sua plenitude. Mas amadurece mais ainda a mulher que precisa ser amada, desejada, respeitada, que deseja apenas encontrar seu lugar no mundo.
De repente 30, e de repente hoje estou fazendo trinta anos, com bagagem, não o suficiente, mas o necessário para me orgulhar de fazer essa idade. De repente trintei e carrego o sabor de saber quem sou, insana, profana, mas acima de tudo humana.