terça-feira, 14 de abril de 2015

IMPRESSÕES: VIDA EM UM DESABAFO






"HOJE VOU SER MAIS FELIZ DO QUE ONTEM!"
Sabe aquela roupa folgada que tanto você procurava na loja, para que não visse suas curvas a mais, pois é, elas já não são mais necessárias.
Sabe aquela cara de desdenha da vendedora quando te via entrar pela porta da loja, elas já não existem mais.
Sabe aquela toalha de banho tamanho normal que não se enrolava no seu corpo, pois é, ela faz a volta e esconde todo ele agora.
Sabe quando você queria fazer a unha do pé e não conseguia, necessitando ou pagar manicure ou da ajuda das amigas, pois é já não é mais necessário, pois você alcança e consegue fazer suas unhas sozinha.
Sabe quando no alongamento para atividades físicas era necessário segurar o pé curvado para trás e você não conseguia, incrível, até equilibrio hoje você consegue para fazer e sem apoio.
Sabe aquela sandália que precisava fechar, e você tinha que pedir ajuda para fazer isso, é você já as calça sem sacrifício nenhum.
Sabe aquela calça jeans nº 46,  gata ela entra e fica linda.
Você já passa na rua e os pedreiros te elogiam, ou assobiam.
Sabe aquele olhar de "nossa é mesmo ela", estão estampados em vários rostos que não te viam faz tempo.
As "saboneteiras" já aparecem, o sorriso é mais largo, a autoestima é outra, o sentimento é diferente. Incrível como detalhes dos quais nem prestava atenção antes hoje são tão importantes. 

Me perguntam sempre se eu era feliz? Se não devia ter tomado a decisão de operar antes? Como me sinto agora? O que pretendo fazer agora que estou emagrecendo?
Bom, se eu era feliz? Sim era muito, muito feliz, porque tinha a minha volta pessoas das quais me amavam não por condições financeiras, oportunismo, status, mas sim pessoas que me amavam pelo meu caráter e personalidade, pela essência daquilo que sou e não mudou, pela minha autenticidade. 
Se devia ter tomado a decisão antes? Realizando uma análise, da minha vida e de tudo que passei  até o momento, acredito que a maturidade que eu necessitava veio no momento certo, e que decidi na hora certa, pois agora tenho consciência e responsabilidade pelos meus atos, e sei na prática quais são suas consequências, não que não soubesse antes, mas acredito que não estava preparada para mudanças tão radicais, principalmente na questão da alimentação, e por em especial sempre ter sido considerada "boca nervosa". Engraçado eu tinha orgulho disso, e vejo hoje que não é um bom motivo do qual se orgulhar, e que comer bem não é comer de tudo em grande quantidades.
Como me sinto agora? A resposta por incrível que pareça é "NÃO SEI", é um misto de muitos sentimentos, preocupação, ansiedade, felicidade, tristeza, nostalgia, em momentos diferentes consigo sentir de tudo um pouco, pois como temos que procurar um equilíbrio na vida em todos os seus setores, estou vagarosamente me encaixando "dentro de mim", o meu eu particular, com a minha nova inserção no mundo. Por que isso? Porque as pessoas te olham diferente, te tratam diferente, te elogiam diferente, conversam diferentemente sobre todos os assuntos, não que não existisse diálogo antes, mas o ser humano é na existência a coisa mais engraçada e complexa que pode existir, seus pensamentos se contradiz, suas atitudes são previsíveis, e sua língua é afiada, às vezes, para maldade e em outras para o bem.
O que pretendo fazer agora? Essa pergunta foi interessante, pois fiquei me questionando o que leva uma pessoa a te perguntar algo assim. Será que não fazia nada antes, é como se antes de emagrecer eu simplesmente fosse GORDA, e nada fizesse da vida. É como se fosse: "SOU GORDA, COMO O DIA INTEIRO, NÃO TENHO VIDA SOCIAL, E NÃO FAÇO MAIS NADA ALÉM DE COMER E NÃO FAZER NADA!" O que pretendo fazer agora, é continuar fazendo todos os dias o que fazia antes, VIVER, viver intensamente, aprender sempre, viajar, estudar, conhecer coisas novas e pessoas novas também. Nunca me deixe parar no tempo e no espaço, sou formada em duas faculdades, terminando uma especialização e trabalhando muito todos os dias, para melhorar cada vez mais meu conhecimento e minha cultura. Sei que sou guerreira, uma guerreira que procura vencer as batalhas do cotidiano e que não se deixa abalar pelas dificuldades.
A vida é nova e totalmente diferente em alguns pontos, em outros vou sempre continuar sendo a Patty de sempre, curiosa, dedicada, bagunceira, festeira e do sorriso largo para as coisas boas da vida, amiga, filha e profissional que busca ser sempre melhor nas suas atitudes e realizações.
Á você leitor eu digo e continuo repetindo todos os dias para mim mesma: "HOJE VOU SER MAIS FELIZ DO QUE ONTEM!", mesmo com dificuldade, mesmo na adversidade, quem faz o dia bem é você e não o que as pessoas pensam ou dizem sobre "você"!